Como é que um xaile e um círculo de mulheres podem transformar para sempre a jornada de uma mulher.

Amar é abrir o coração às mais variadas emoções. Às vezes são emoções que transbordam e fazem-nos sentir maiores que o mundo, outras apertam-nos o peito como se o coração encolhesse e enrrugasse para se tornar do tamanho de uma noz. Num coração que ama cabem todas as emoções e quanto mais pessoas amamos maior é a montanha russa onde uma hora somos unas com o Todo, e noutra sentimos aquele soco no estômago que nos tira o ar e torce as entranhas.

Os budistas falam de desapego e referem a arte de deixar as emoções fluir sem nos apegarmos a elas. Confesso que ainda estou no principio de perceber como ser capaz de deixar-me sentir sem me  levar pelo mar turbulento das minhas emoções. Mas, é preferível cavalgar as ondas tempestuosas das  emoções, do que amarrotá-las e atirá-las para um qualquer balde da reciclagem escondido na cave do nosso interior.

A minha amiga Seana “my person” aqui das Beiras decidiu voltar para a Irlanda. E eu senti-me assim como uma órfã, mas ao mesmo tempo enaltecida pelo seu ato de coragem, aos 64 começar pelo próprio pé uma vida totalmente nova. Que exemplo de Vida, que coragem! E como celebrar a amizade, como dizer adeus, como deixar estas lágrimas de tristeza, excitação e profunda admiração rolarem pelas faces de forma a que as emoções possam ser expressas mas sem tirar à Seana o seu protagonismo, sem tornar este momento num ato egoísta de perda, mas sim numa celebração da mutabilidade da vida com a devida tristeza à mistura?

Convocando um circulo de mulheres e lidando com as emoções de mãos ocupadas e os corações ao alto, transformando-as numa peça de arte, que vai abençoar e acompanhar a Seana até ao fim dos seus dias. É para isso que serve o xaile da imagem. O xaile é um abraço colectivo onde cada uma de nós mulheres teceu desejos, costurou memórias e sim bordou lágrimas mas também sorrisos.

Fizemos um xaile para a abraçar e estarmos sempre, sempre com ela, mas também porque o xaile é o símbolo da sabedoria, a sabedoria de saber quando mudar de rumo, ainda que a partir da próxima esquina não se consiga ver o caminho.

E sabem, depois depois deste circulo de mulheres fiquei com um desejo profundo de que cada mulher neste planeta possa um dia ser amada e admirada como a minha amiga Seana, e que esse amor possa se materializar na forma de xaile. Devia ser instituído como um ritual de iniciação na vida adulta… digo eu… do fundo do meu coração.

O meu profundo amor hoje para vocês que me lêem, pois como devem imaginar as palavras não chegam para conter todas as emoções.

Se te faz sentido, deixa que a Lua te banhe todos os meses com novidades e inspiração.

Subscreve o correio da Lua Cheia
Aqui

 

Advertisements

5 thoughts on “Como é que um xaile e um círculo de mulheres podem transformar para sempre a jornada de uma mulher.

  1. És uma mulher maravilhosa, Ana. Só um ser assim tão belo para tecer um xaile para uma irmã de coração, retirando esta aprendizagem tão bela e nobre, para todas nós. Beijinhos

    Like

    1. Querida Cristina eu sou um espelho que reflete as Mulheres maravilhosas que têm cruzado o meu caminho e com quem tenho aprendido tanto! E tu és uma delas como bem sabes <3. Abraço-te com muito amor

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s