As 8 etapas da viagem da Heroína através das fases da Lua.

Hoje quero falar ao de leve sobre a viagem da Heroína. A viagem da Heroína não é um termo meu, já existe, foi criado por necessidade. Todos os mitos tem uma série de etapas a serem alcançadas, estas etapas fazem parte da vida psíquica e das nossas fases de desenvolvimento. Na nossa cultura estudou-se e aprofundou-se o mito do Herói, mas a verdade é que Homens e Mulheres tem estruturas psíquicas diferentes, e acima de tudo uma relação com o tempo e a vida cíclica estruturalmente diferente.

Então surgiu este novo termo que é a viagem da Heroína, há muita bibliografia sobre este assunto, muitas mulheres maravilhosas e visionárias que estão a reescrever a história das mulheres na cultura actual e acima de tudo a criar estruturas que nos sirvam e com as quais possamos realmente nos identificar. Nesta curva cultural, vemos finalmente as mulheres de forma global a questionarem-se sobre o que é Ser Mulher, o que é viver e ter Poder a partir do feminino e não de padrões culturais patriarcais, estes são sem dúvida tempos de uma grande mudança cultural.

Ora como sabem eu estudo ciclos e interesso-me especialmente pelos ciclos da Lua e de Saturno. Mas neste momento estou mesmo muito curiosa com os ciclos da Lua.

À medida que vou crescendo como astróloga e crescendo como coach tenho vindo a observar a Arte de Tecer e Viver a Vida Cíclica  no meu quotidiano e na minha abordagem terapêutica, precisei de enquadrar a viagem da heroína nos ciclos da Lua e na roda anual, para que eu própria enquanto narradora da minha história pudesse estar mais atenta às fases da minha heroína interna e acima de tudo à forma como essas fases informam e moldam a minha Biografia pessoal, a forma como tudo isto se casa com o Mapa Natal e os trânsitos astrológicos é fascinante!

No curso que facilito – A Arte de Tecer a Vida, nós aprofundamos cada uma destas fases através de objetos de poder, mas vocês podem encontrar outras formas de se relacionarem com esta informação e de questionar e observar a vossa vida e o vosso ciclo lunar e anual através destas fases e ver a que conclusões chegam (eu ia adorar saber de vocês).

Aí vão as 8 fases da Viagem da Heroína através das fases da Lua:

20180221_123706

O Chamado, a Invocação – Lua Nova

Esta é a fase em que a heroína é chamada para a aventura. Ela sente dentro de si a inquietação de quem sabe que está na hora de trazer algo novo ao mundo. Existe uma Invocação, algo que se quer materializar, mas não se sabe como. Esta é a fase de lançar sementes e de as proteger com cuidado. É a fase em que construímos um amuleto que irá nos proteger na nossa jornada. – Solstício.

O Convite e a Recusa – Lua Crescente

A heroína não se crê capaz e tende a recusar a chamada.  É preciso que tenha coragem de olhar para o vazio e que se esvazie das crenças que alimento de si mesma. Em muitas histórias esta fase está associada ao caldeirão da transformação, no curso que facilito, associamos esta fase à taça e à transformação das crenças que nos limitam. Janeiro/Fevereiro

Encontro com a mentora, a voz que indica do caminho – Quarto Crescente

Esta é a fase dos vários caminhos e das encruzilhadas, a heroína chega ao mundo externo mas não sabe para onde ir. É então que aparecem os sinais, ou na forma de uma Sábia, ou de uma boneca (Vassalissa) ou um animal. É nesta fase que a heroína descobre a sua voz interna e encontra o seu caminho. – Equinócio da Primavera

Desafios, encontro com o poder – Lua Geba

Esta é a fase em que aparecem os desafios, os inimigos ou os obstáculos. A fase em que a heroína precisa encontrar a força interna e precisa aprender a usá-la de forma consciente, onde ela aprende a defender-se e a defender o seu espaço.  – Abril/Maio

A Recompensa,  uma nova identidade – Lua Cheia

A heroína recebe agora o dom de saber equilibrar a vida interna e a vida externa. É lhe dada a capacidade de identificar com uma Visão Maior de si própria. Nesta fase tecemos uma máscara, que faz a ponte entre o nosso mundo interno e externo.                     Solstício de Verão

O Regresso a Casa, a curandeira – Lua Disseminante

A heroína regressa a casa consciente de si e do que é realmente importante para si e ao que é que quer dar atenção. Existe o perigo de perder-se de si e voltar ao estado inicial. Agora é o tempo de aprender a preservar os seus tesouros e a manter na sua bolsa apenas o essencial, para que possa ter espaço para acolher o mistério que transporta dentro de si. – Julho/Agosto

Ressurreição, a anciã – Quarto Minguante

A heroína surge como uma nova mulher, morre como heroína e renasce mulher sábia, a jornada integra-se, agora ela é o seu tesouro,  respira e irradia a sua própria luz. Para onde olha consegue ver o todo, com esta sensação de completude começa a recolher-se.  Equinócio de Outono

Elixir, o serviço – Lua Balsâmica

A mulher sábia sendo completa em si sabe-se sendo Todo, começa agora servir as heroínas que começam a ser chamadas para a aventura. – Novembro

Se quiseres saber mais sobre a Arte de Tecer a Vida e os objetos de Poder  relacionados com cada uma destas fases clica aqui.

Se te identificas com que acabaste de ler, talvez queiras assinar a minha newsletter mensal. A cada Lua Cheia eu envio um e-mail com novidades e inspiração.
Subscreve o correio da Lua Cheia
Aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s