Lua Cheia em Carneiro – depois de olhar para as projeções chega a hora de olhar para o sangue. Qual é a qualidade do sangue que andas a derramar?

Esta semana volto à newsletter e ao canal no Youtube, depois de 2 meses de ausência.

Que coisa boa, estar a escrever-vos já a sentir o Outono a bater à porta, a ouvir as corujas cantar lá fora e a doce noite a embalar os dedos rápidos que fazem música com as teclas do computador.

Porque a energia desta Lua está no auge e porque a semana passada eu foquei-me exclusivamente nas relações e pouco falei de Marte que é o senhor cuja energia está a ser refletida por esta Lua de Outono, decidi adicionar aqui mais um convite à reflexão, desta vez sobre a qualidade do sangue que andamos a derramar. Todos derramamos sangue, ou nosso, ou dos outros,  pingando, ou  jorrarando.

Porque a semana de Lua Cheia é semana de video, desta vez em fez de escrever eu fiz um video a falar sobre os aspectos desta Lua que não mencionei a semana passada, mas acho importante sublinhar, e sobre o sangue, o nosso sangue.

Vamos olhar para o sangue? Vejam o video e partilhem comigo.

 

Abraço com carinho

Ana Alpande

Se te identificas com que acabaste de ler, talvez queiras assinar a minha newsletter mensal. A cada Lua Cheia eu envio um e-mail com novidades e inspiração.
Subscreve o correio da Lua Cheia
Aqui

Lua Cheia no Eixo Carneiro/Balança, um ritual para olhar para as feridas internas projetadas pelas relações.

circulo-protector

A Lua Cheia este mês chega a  25 de Setembro, no eixo Carneiro/Balança, ou seja no eixo das relações.

A Lua Cheia é o momento do mês para: agradecer, perdoar, libertar, purificar.

Neste eixo, para que eu possa limpar, purificar, eu primeiro preciso de olhar para mim, para a minha relação comigo e para a forma como a mesma  é projetada nas relações com os outros. Esta é uma Lua que pode trazer ao de cima o que não anda bem no mundo das relações, porque na polaridade Carneiro/Balança, a conversa é entre o Eu e as vontades inconscientes do Eu e os Outros e a  necessidade de o Eu ser amado, ouvido e respeitado.

Muitas vezes quando o Eu se sente ferido, tende a ferir o outro, ou a aumentar ou exagerar as ações do outro.

Muitas das vezes sentimos como agressões externas as atitudes ou as palavras que tocam as nossas feridas mais internas, e é nesse campo que as relações se tornam valiosas ferramentas de crescimento pessoal, pois ao olhar para a forma como o outro me faz sentir, eu tenho oportunidade de iluminar aspetos mais escondidos da minha sombra.

E esta é uma Lua para olharmos com honestidade  para as nossas sombras projetadas nos outros.

Para mim, Balança como sou, é das Luas mais difíceis, mas também é invariavelmente a que me faz crescer mais, pois é aquela que mais fundo chega às feridas que me aplico a esconder.

Se nesta Lua te sentes especialmente agredida, emocionada, desprotegida, não vista ou ouvida nas tuas relações intimas, ou se por outro lado  és tu que estás tensa, inquieta, ou agressiva, talvez esteja na altura de perguntares a ti mesma o que é estás a projetar ou o que é que te está a ser projetado.

Esta Lua é um momento de ouro para trazer clareza às projeções que fazemos nas pessoas que mais amamos.

Costumo recomendar muitas vezes nas consultas o seguinte exercício:

Senta-te num local confortável onde não vás ser interrompida, com caneta e papel na mão:

1º Escreve de forma rápida e fluida o que sentes em relação a determinada pessoa, situação ou grupo de pessoas (desde que envolva acontecimentos externos).

2º Agora noutra folha de papel, re-escreve de novos trocando o Ele/Ela por Eu.

3º Lê os dois em voz alta, observando o que sentes.

4º Volta a ler, desta vez sublinhando o que te magoa.

5º Escreve só as partes que te magoam, reconhecendo-as como parte de ti.

No dia da Lua Cheia, podes fazer um pequeno ritual de perdão e libertação destas emoções, seguindo a seguinte ordem:

1º fazer algum tipo de exercício físico, pode ser uma caminhada com um passo mais rápido, yoga, saltar, correr, subir escadas etc… a ideia é que o teu corpo fique cansado e comece a eliminar toxinas.

2º Podes desenhar um círculo com a tua mente, ou fazer um círculo no chão (as minhas alunas podem usar o cinto do poder), e decidir nesse momento que esse círculo é o teu espaço sagrado, onde não haverão interferências.

3º Pede proteção aos teus guias, anjos, mestres etc…

4º Encontra 3 coisas pelas quais sejas grata e agradece no circulo, de forma a que a tua gratidão forme uma bolha protetora à tua volta (isto faz-se trazendo a emoção da gratidão para o corpo e inspirando-a e expirando-a, imaginando que se amplia e preenche o círculo).

5º Sintoniza-te com a Lua, e olhando para as tuas emoções em relação à forma como as tuas relações intimas te fazem sentir e ao que foi trazido à tona pelo exercício anterior;  encontra dentro de ti a força e a coragem para pedires perdão a ti mesma e às pessoas envolvidas; se isso for verdadeiro para ti… se não for, entrega à Lua, imagina os seus raios limparem as emoções do teu corpo; respira a luz prateada da Lua para que possa limpar e purificar as sombras que vieram à luz; pergunta a ti mesma, ou pede para que te seja revelado como podes integrar, o que podes fazer, o que podes mudar em ti para alterar a situação.

6º Toma um banho com sal, imagina que todas as emoções que pesam são drenadas pelo ralo.

7º Vai para a rua, encontra-te com uma árvore, com uma pedra ou com o mar. Agradece a ti mesma o tempo, a coragem e a honestidade que deste a ti mesma.

Vamos aproveitar esta Lua para cultivarmos relações mais verdadeiras, para invocarmos a coragem de assumir a nossa responsabilidade nas nossas relações, e acima de tudo para nos auto-responsabilizarmos pelas feridas que doem e por sermos nós a lambê-las e  sará-las.

Com muito amor

Ana

Ps. Em outubro vou  começar um ciclo sobre a Lua Natal e os ciclos da Lua, neste ciclo de dois círculos iremos abordar este entre muitos outros temas. Se te interessa vê o programa aqui.

Se te identificas com que acabaste de ler, talvez queiras assinar a minha newsletter mensal. A cada Lua Cheia eu envio um e-mail com novidades e inspiração.
Subscreve o correio da Lua Cheia
Aqui

 

Círculos de Astrologia: A Lua de Nascimento, as fases da Lua e os ciclos de crescimento emocional.

img_como_e_o_calendario_lunar_de_2017_6409_600

Os Círculos de Astrologia acontecem num ambiente íntimo e rico em aprendizagens, vivências e partilhas, as vagas são por isso limitadas.

Durantes  dois círculos, espaçados entre dois meses, estaremos a mergulhar nas águas profundas da Lua, abordando dois aspetos distintos da nossa relação com a Lua dando o espaço necessário entre ambos para que os ensinamentos possam ser absorvidos e vivenciados após cada círculo.

No primeiro exploraremos a Lua Natal e o seu significado mais profundo através do  posicionamento no nosso mapa e  das  nuances que recebe de cada signo, falaremos ainda da Lua Progredida e dos ciclos do nosso amadurecimento emocional.

No segundo  falaremos das fases da Lua, e da forma como o ciclo mensal da Lua influencia as águas dos nossos ciclos internos, assim como as possibilidades de desenvolvimento pessoal através  das Luas Cheias e Luas Novas a cada mês do ano e de como elaborar um calendário anual de trabalho interno através da Lua Nova/Lua Cheia.

A cada participante será dada uma cópia do mapa natal e progredido,  a cada círculo cada participante terá a oportunidade de adquirir ferramentas para se relacionar de forma profunda e terapêutica com a  sua Lua Natal, assim como adquirir uma base para começar a acompanhar e relacionar-se com as fases mensais da Lua e o seu ciclo anual através dos 12 signos do zodíaco.
Desta forma estes encontros poderão servir  de iniciação ao estudo da Astrologia  como disciplina de autodesenvolvimento,   ferramenta de aprofundamento e trabalho mensal para as estudantes da vida cíclica, assim como ferramenta de trabalho para facilitadoras de círculos de mulheres.

1º Circulo:   A Lua Natal e o tecido do nosso corpo emocional 

Neste primeiro círculo começamos por abordar a Lua de forma pessoal,  criando as bases para o reconhecimento e aprofundamento  pessoal das qualidades do nosso tecido  emocional, olhando para o nosso mapa natal e para a posição da Lua de nascimento falaremos sobre o nosso berço emocional e ancestral assim como os ciclos de desenvolvimento da nossa malha emocional através dos seguintes tópicos:

. A Lua Natal –  o nosso berço emocional e a nossa linhagem ancestral;

. A Lua através dos elementos e dos signos;

. Os ciclos do nosso desenvolvimento emocional, olhando para as progressões da Lua pelo nosso mapa;

. Como honrar a nossa Lua em todas as suas expressões incluindo as nossas carências mais profundas;

2º Circulo –  As fases da Lua, a missão da nossa Alma e o ciclo mensal de morte e renascimento

Com as bases simbólicas e arquetípicas adquiridas no primeiro círculo iremos explorar formas práticas de nos relacionarmos com os ciclos mensal  e  anual da Lua através dos 12 signos do zodíaco.

. Neste círculo abordaremos a viagem da heroína através das fases da Lua e a sua relação com a fase da Lua em que nascemos;

. Iremos olhar para a roda anual dos meses do ano através  das Luas Nova e Cheia por cada um dos signos, aprofundando as oportunidades de crescimento pessoal em cada um dos meses;

. Falaremos ainda de rituais, meditações, mantras e questões de aprofundamento para cada um dos meses, de forma a que cada participante fique com ferramentas para criar o seu calendário anual de trabalho interno através da Lua;

Indicado para:

Estudantes e Aprendizes da Vida Cíclica e da Arte de Tecer a Vida

Estudantes de Astrologia

Facilitadoras de Círculos de Mulheres

Datas: dias 03 de março e 19 de Maio das 10h às 18h

Valor de Troca: €40 por círculo mais inscrição
Inscrição: 20€ ( a vaga só fica reservada após a receção do comprovativo de pagamento).
Todas as participantes obtêm um desconto de 20% na marcação de uma consulta de Astrologia.

Almoço vegetariano fornecido por Omfoods  – €6,5 a confirmar no acto de inscrição.

Inscrições aqui

Local: Livraria Mais Carcavelos – https://livrariamais.net/